Um único neurônio pode armazenar memórias

Após análises em cérebros de ratos, cientistas da Universidade do Texas Southwestern descobriram que essas células podem guardar lembranças de curta duração indispensáveis para o nosso dia-a-dia por até um minuto – ou mais.

As memórias transitórias costumam ser associadas à memória RAM de um computador. "A memória de um disco é mais permanente e você pode voltar e acessar a mesma informação repetidamente", disse Don Cooper, professor assistente de psiquiatria da Universidade do Sudoeste do Texas e líder da pesquisa. "A memória RAM é um depósito temporário de memória regravável que permite a execução de diversas tarefas ao mesmo tempo", explicou.

Por décadas, cientistas tentaram identificar quais partes do cérebro são responsáveis por tais funções. No novo estudo, os pesquisadores americanos mediram o processo de memorização através de minúsculos eletrodos implantados no cérebro de ratos. A equipe descobriu então um receptor químico chamado mGluR5 que, quando ativado, avisa a célula que "guarde a memória".

A equipe avalia que a descoberta pode ajudar os dependentes químicos. "Para quem é viciado em drogas, podemos fortalecer essa parte do cérebro envolvida na tomada de decisões, fazendo com que eles possam ignorar impulsos e pesar as consequências negativas de seu comportamento caso abusem de drogas", disse Cooper.

No futuro, os cientistas acreditam ser possível desenvolver medicamentos para manipular e até expandir a capacidade de memória dos indivíduos. "Se conseguirmos identificar e manipular os componentes moleculares da memória, poderemos desenvolver drogas capazes de aumentar a habilidade de manter o rastro dessa lembrança para, quem sabe, permitir que uma pessoa execute tarefas sem ser distraída", afimou Cooper.

Deixe um comentário