Sotaque ao falar idiomas é determinado por falta de uso de áreas do cérebro

O sotaque ao falar idiomas estrangeiros está relacionado às representações silábicas presentes na mente das pessoas durante a aprendizagem de uma ou mais línguas na infância e a utilização decrescente das áreas do cérebro dedicadas a essas operações.  Essas são algumas das conclusões de um estudo divulgado pelo Centro Nacional de Pesquisa Científica da França (CNRS). A pesquisa ressalta que as crianças bilíngues antes dos cinco anos são as que têm melhores chances de aprender as representações silábicas de dois idiomas evitando o sotaque de um deles ao falar o outro.

Crianças bilíngues antes dos cinco anos são as que têm melhores chances de aprender as representações silábicas de dois idiomas evitando o sotaque de um deles ao falar o outro.

Foto: Patricia Kuhl/AP 20-07-2009

Melhor idade para aprender um idioma estrangeiro é entre o nascimento e os 7 anos de idade, afirmou ano passado estudo do Instituto para Aprendizado e Ciências do Cérebro, da Finlândia (Foto: Patricia Kuhl/AP 20-07-2009)

 

Deixe um comentário