Sons ajudam a formar imagens, diz estudo

Cientistas acreditam ter descoberto por que muitos motoristas abaixam o volume do rádio para encontrar um endereço ou manobrar: eles estão evitando informações auditivas que, em momentos que exigem concentração, possam embaralhar as informações visuais. Segundo os pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, e da Universidade de Genebra, na Suíça, além dos dados enviados pelos olhos, o córtex visual, região cerebral que processa imagens, também se vale de elementos sonoros.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Decoding Sound and Imagery Content in Early Visual Cortex

Onde foi divulgada: periódico Current Biology

Quem fez: Petra Vetter, Fraser W. Smith e Lars Muckli

Instituição: Universidade de Glasgow, na Escócia, e Universidade de Genebra, na Suíça

Resultado: Os pesquisadores descobriram que, além dos dados enviados pelos olhos, o córtex visual, região cerebral responsável pela visualização de imagens, também usa sons para formar imagens

"Sons criam imagens e projeções automáticas", explica o neurocientista Lars Muckli, um dos autores do artigo publicado na última semana no periódico Current Biology. "Então, por exemplo, se estamos em uma rua e escutamos o barulho de uma moto se aproximando, esperamos ver uma moto na esquina."

Combinação entre os sentidos — Para descobrir como os dados auditivos influem na visualização de imagens, os pesquisadores fizeram cinco experimentos diferentes usando ressonância magnética funcional (fMRI) e examinaram a atividade no córtex visual, região que fica no lobo occipital do cérebro (parte posterior do crânio), em dez voluntários. Em um dos testes, as pessoas tiveram os olhos vendados e escutaram o som de pássaros, vozes e barulho de trânsito. Por meio da ressonância, os cientistas identificaram os padrões de cada ruído no córtex visual, mostrando que os sons atuavam na área que forma imagens.

"Não sabíamos que o córtex visual processava informação auditiva. Já tínhamos evidências da interconectividade anatômica dessas regiões em macacos, mas esse é o primeiro estudo que mostra, claramente, como acontece essa conexão em humanos", diz Muckli.

Os pesquisadores acreditam que o auxílio prestado pela audição à visão pode ser uma vantagem evolutiva, pois ajuda a prever eventos surpresa, como o ataque imprevisto de um predador. No futuro, os cientistas pretendem explorar mais sons, para descobrir quão preciso é o córtex visual na hora de processar imagens e prever eventos. 

VEJA 

Deixe um comentário