Novos neurônios em ratos com Alzheimer morrem rápido, revela estudo

O estudo, realizado através de uma parceria entre o Centro de Pesquisa sobre a Cognição Animal em Toulouse (França) e o Instituto Tecnológico da Califórnia em Pasadena, confirma a importância da parte do giro dentado do hipocampo (estrutura cerebral) na memória.

Recentemente, cientistas revelaram que, no giro dentado, as células progenitoras, ou células-tronco, são capazes de se dividir e criar novas células nervosas, que posteriormente se transformam em neurônios ou células gliais.

Segundo os últimos estudos, esse fenômeno, chamado neurogênese e que está ligado ao desenvolvimento do sistema nervoso, ocorre ao longo de toda a vida adulta dos mamíferos.

Os pesquisadores avaliaram a hipótese de a substituição celular no cérebro adulto ser limitada por um ambiente mortífero ou deletério, identificado no cérebro dos doentes de Alzheimer.

Segundo o artigo, a produção de novos neurônios no hipocampo se reduziu drasticamente nos ratos que apresentaram uma mutação nos genes APP e APP/PS1, que são, respectivamente, modelos das fases iniciais e finais da doença.

O estudo detectou uma redução substancial da sobrevivência das células nervosas recém-nascidas nos cérebros dos ratos que estão em um estágio avançado da doença. Essas células até agora eram consideradas terapêuticas para a perda de neurônios, causa do Alzheimer.

Os especialistas observaram que os novos neurônios desaparecem mais tarde em seu processo de amadurecimento.

Curiosamente, após a pesquisa, descobriu-se que os mesmos neurônios que morrem no cérebro dos ratos nas fases mais avançadas do mal de Alzheimer também desaparecem no resto de mamíferos, mas durante o estágio inicial da doença.

Segundo o estudo, atividades como o estímulo ambiental, o tratamento da depressão ou o exercício físico podem aumentar a sobrevivência dos novos neurônios, e, ao mesmo tempo, diminuem a incidência de Alzheimer.

Os pesquisadores afirmaram que, a partir de agora, concentrarão esforços em determinar o que impede que o desenvolvimento neuronal se complete para dar lugar a neurônios adultos e funcionais

Deixe um comentário