Morre prêmio Nobel que contribuiu no tratamento do Parkinson

O americano William Knowles, que em 2001 dividiu o Nobel de Química com outros dois pesquisadores, tinha 95 anos. Foto: AFP

O americano William Knowles, que em 2001 dividiu o Nobel de Química com outros dois pesquisadores, tinha 95 anos
Foto: AFP

O americano William Knowles, que em 2001 dividiu o Prêmio Nobel de Química com seu compatriota Karl Barry Sharpless e o japonês Ryoji Noyori por pesquisas que ajudaram no tratamento do Parkinson, morreu aos 95 anos, informa nesta segunda-feira a imprensa americana.

Lesley McIntire, filha do químico americano, confirmou que seu pai faleceu na quarta-feira passada por complicações de esclerose lateral amiotrófica (ELA, a mesma doença que atinge o físico britânico Stephen Hawking), segundo o jornal The Washington Post.

Knowles trabalhou durante 44 anos na companhia Monsanto, uma empresa provedora de produtos químicos com sede na cidade de Saint Louis até sua aposentadoria, em 1986. No entanto, 15 anos depois, aos 84 anos de idade, foi agraciado com o prêmio Nobel de Química.

Os descobrimentos que realizou enquanto trabalhava para esta companhia facilitaram a fabricação industrial do remédio que posteriormente foi utilizado para tratar o mal de Parkinson. As pesquisas dos três cientistas se baseiam nas propriedades das moléculas que se apresentam em duas formas, como imagens que se refletem e que são conhecidas como moléculas quirais.

Knowles, professor emérito da Universidade de Missouri, descobriu que é possível utilizar metais de transição para fabricar quirais catalisadores por meio da hidrogenação e obter como produto final a forma molecular procurada. Sua pesquisa abriu passagem imediatamente ao processo industrial para a produção do fármaco L-dopa, que é utilizado atualmente no tratamento do Parkinson.

Deixe um comentário