Fumar maconha pode duplicar o risco de AVC em adultos jovens, afirma estudo

Fumar maconha pode dobrar o risco de acidente vascular cerebral (AVC) em adultos jovens, de acordo com pesquisa da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia.

O estudo revela que pacientes que sofreram AVC isquêmico e ataque isquêmico transitório (TIA) eram 2,3 vezes mais propensos a ter cannabis detectada em exames de urina.

"Este é o primeiro estudo a mostrar uma possível ligação entre o aumento do risco de acidente vascular cerebral e a cannabis. A maconha é classificada pelo público como relativamente segura, apesar de ser uma substância ilegal. Este estudo mostra que este pode não ser o caso, e que seu uso pode levar a acidente vascular cerebral", afirma o pesquisador P. Alan Barber.

O estudo incluiu 160 pacientes com idades entre 18 e 55 anos que sofreram AVC isquêmico / TIA e que passaram por exames de urina na admissão ao hospital. Entre os pacientes, 150 tiveram AVC isquêmico e 10 tiveram TIAs. Cerca de 16% dos pacientes tinham exames positivos para a droga, principalmente aqueles do sexo masculino que também fumavam tabaco.

Apenas 8,1% dos controles testou positivo para maconha em amostras de urina. Os pesquisadores não encontraram diferenças na idade, mecanismo de acidente vascular cerebral ou fatores de risco vasculares entre os usuários de maconha e não usuários.

"Em relatos de casos anteriores, acidente vascular cerebral isquêmico e TIA apareceram horas após o consumo de cannabis. Esses pacientes geralmente não tinham outros fatores de risco vascular além do uso de tabaco, álcool e outras drogas", afirma Barber.

Barber recomenda que os médicos examinem jovens que chegam aos hospitais com derrame para o uso de maconha."As pessoas precisam pensar duas vezes sobre o uso de cannabis, porque ela pode afetar o desenvolvimento do cérebro e resultar em enfisema, ataque cardíaco e, agora, acidente vascular cerebral", conclui.

Deixe um comentário