Estudo indica relação entre gene e felicidade

Um estudo da London School of Economics and Political Science indica que um gene pode ser influente na felidade das pessoas. Mas os cientistas afirmam que o mais importante ainda é o “curso da vida” de cada um, mas a genética pode explicar o porquê de algumas pessoas serem naturalmente mais felizes que outros. A pesquisa foi divulgada na publicação especializada Journal of Human Genetics, do grupo Nature.

Segundoo pesquisador Jan-Emmanuel De Neve, sempre se desconfiou que um gene tivesse relação com felicidade, mas esse estudo mostra um indício direto dessa ligação. Outro estudo de De Neve, em parceria com cientistas das universidades de Harvard, Califórnia-San Diego (ambas nos Estados Unidos) e Zurique (Suíça), que comparava os códigos genéticos de gêmeos idênticos e não-idênticos, já indicava que a genética era responsável por um terço da variação na felicidade das pessoas.

O pesquisador afirma que o gene 5-HTT é o responsável pelos transportadores de serotonina, a substância responsável pelo sentimento de prazer e felicidade, nos neurônios. Esse gene é formado por dois alelos, que podem ser curtos ou longos (cada pessoa pode ter dois curtos, dois longos, ou um de cada).

Conforme o cientista, foram analisados os DNAs de 2,5 mil pessoas nos Estados Unidos. Para eles foi perguntado o quão satisfeitos estavam com sua vida como um todo, com cinco respostas possíveis: muito satisfeito, satisfeito, insatisfeito, muito insatisfeito ou nenhuma das anteriores.

O pesquisador afirma que pessoas com dois alelos longos respondiam mais estarem muito satisfeitas (35%) ou satisfeitas (34%) do que aquelas com dois alelos curtos (19% nas duas categorias). Além disso, o estudo indica que ter apenas um alelo longo aumenta em 8% a chance de alguém estar muito satisfeito com a vida do que aquelas com dois curtos.

Deixe um comentário