fbpx

Descoberta parte do cérebro onde pássaros “armazenam” suas melodias

Em artigo divulgado em janeiro pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences, os pesquisadores afirmam que a descoberta tem implicações para os seres humanos pois o homem, da mesma forma que as aves, aprende a falar imitando seus progenitores.

"Esta descoberta é importante porque proporciona uma prova neurobiológica que ajuda a explicar o processo por meio do qual as crianças desenvolvem a linguagem", afirmou Patricia Kuhl, da Universidade de Washington, em Seattle.

"Se os processos de aprendizagem nas aves e nos seres humanos têm semelhanças formais, o que parece que ocorre, então estudar o cérebro de um pássaro poderia revelar de que forma ocorre a imitação nas células do cérebro", disse David Vicario, da Universidade de Nova Jersey.

Os cientistas da Universidade de Nova Jersey e da Universidade Wesleyan ressaltaram que as aves guardam a lembrança das canções em uma parte do cérebro vinculada à audição.

Isso significa que uma vez armazenada, essa lembrança as guia no processo de aprendizagem vocal. "Existem provas independentes de que algo similar ocorre com a aprendizagem da linguagem por parte dos seres humanos, revelou Vicario.

Embora se saiba que há outras espécies que imitam os ruídos de seus progenitores, como as baleias, os golfinhos e os papagaios, os cientistas concentraram seus estudos em um pássaro australiano com bom desenvolvimento em cativeiro.

Claramente, esses pássaros imitam o canto de seus pais, no início de maneira trôpega, mas que vai melhorando à medida que se desenvolvem fisicamente.

Deixe um comentário