fbpx

Descoberta parte do cérebro ligada a comportamento altruísta

"Embora nossa compreensão da função dessa região do cérebro não vá, necessariamente, identificar o que impulsiona gente como a Madre Teresa, ela poderá dar pistas para a origem de comportamentos sociais importantes", disse o neurocientista Scott A. Huettel. Os resultados do estudo aparecem na edição online da revista Nature Neuroscience, que trará o trabalho em sua edição impressa de fevereiro.

Altruísmo descreve a tendência que as pessoas têm de agir de maneiras que põem o bem-estar de outros à frente do próprio. Ainda não está claro o que leva algumas pessoas a optar por esse tipo de comportamento, diz o principal investigador do estudo, Dharol Tankersley.

Neste trabalho, os cientistas analisaram os cérebros de 45 pessoas, enquanto elas ou jogavam um jogo de computador ou assistiam o computador jogar contra si mesmo. Em ambos os casos, uma partida bem-sucedida ganharia dinheiro para uma obra de caridade escolhida pelo voluntário.

Os pesquisadores estudaram o cérebro dos participantes por meio de ressonância magnética funcional, que mede mudanças nos níveis de oxigênio que indicam atividade nervosa.

A ressonância mostrou que uma região do cérebro, chamada sulco temporal superior posterior, era ativada em um grau maior quando as pessoas percebiam uma ação – isto é, ao assistir ao jogo do computador – do que quando agiam por si mesmos, disse Tankersley. Essa região geralmente é ativada quando o cérebro tenta compreender relações sociais.

Os pesquisadores caracterizaram o nível de altruísmo dos participantes com base em respostas a perguntas sobre como eles participam de diversas atividades, e compararam as ressonâncias com o nível estimado de altruísmo. As ressonâncias mostraram que o aumento da atividade no sulco temporal superior posterior permitia prever, com grande acerto, a probabilidade de a pessoa ter comportamento altruísta.

Segundo os pesquisadores, o resultado sugere que a capacidade de ver valor nas ações dos outros "é crítica para o altruísmo", afirma Tankersley

Deixe um comentário