Preaload Image

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comer demais pode estar relacionado a problemas psicológicos

Criança que come muito pode não ser apenas “gulosa”. O motivo de tanta “fome” pode estar relacionado a distúrbios como ansiedade e depressão. Cerca de 90% dos pequenos com sobrepeso atacam a comida, principalmente doces, para atenuar as tensões. Mas se a comida fora de hora se tornar um hábito, as consequências podem ser mais graves nos pequenos que em adultos.

“A criança poderá desenvolver doenças típicas dos mais velhos, como hipertensão, entupimento de artérias e baixa de insulina”, enumera o médico ortomolecular João Marcello Branco. E como medicamentos para emagrecer não são recomendados para crianças, o tratamento deve ser com clínicos, nutricionistas e psicólogos. “É importante fazer a análise psicológica para descobrir os motivos, juntamente com a reposição de serotonina, ‘hormônio do bem-estar’. Deve-se elevar a autoestima através da alimentação”, diz Branco.

A ansiedade pode ter origem em cobranças, divórcio dos pais ou perda de alguém querido. “Comer se torna forma de descontar a falta de algo e até de chamar atenção”, afirma a psicóloga Valésia Vilela.

Ao perceber que as filhas gêmeas Emanuella e Isabella Batista, 8, relatavam problemas de relacionamento na escola e comiam demais, Ricardo Batista, 44, buscou tratamento que não se restringia à reeducação alimentar. “O acompanhamento psicológico foi importante. Elas já me pediram até para entrar na aula de dança.”

Cardápio que eleva a autoestima

A nutricionista Renata Pigliasco indica 4 nutrientes que recuperar o bem-estar da criança.

Zinco: Reduz a vontade de comer alimentos muito doces ou salgados. Está em pão de centeio, massas integrais, nozes, pistache e amêndoas.

Vitamina B6: Auxilia no bom humor. Banana, batata, uva passa e cereais integrais.

Triptofano: Diminui a ansiedade e a compulsão. Presente nos laticínios, aveia, peixes, aves e carnes magras, grãos integrais, feijão, lentilha, arroz, banana, ovos, nozes.

Ômega 3: Melhora a função da serotonina. Peixes, sementes, cereais e folhas verdes.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.