fbpx

Cientistas curam dor crônica de camundongos com terapia genética

Cientistas identificaram um gene que está ligado à ocorrência de dor crônica. No jornal especializado Science, pesquisadores da universidade de Cambridge publicaram os resultados de um estudo no qual removeram o gene HCN2 de camundongos e verificaram que a dor crônica foi interrompida, sem causar efeito sobre a dor aguda. Os cientistas esperam que a descoberta possa ajudar na criação de medicamentos para a dor nas costas. As informações são da BBC.

Além da região lombar, casos comuns de dor crônica ocorrem em pacientes com artrite e enxaqueca. Apesar de conhecido há muito tempo, o gene HCN2 ainda não tinha sua função inteiramente compreendida pelos cientistas. Ao remover o gene de camundongos, eles constataram que a dor crônica desapareceu, mas que a dor aguda – como aquela que se sente ao morder a língua, por exemplo – não foi afetada.

Manter a capacidade de sentir dor aguda é importante porque permite ao corpo dar sinais de alerta em caso de perigo, como em uma queimadura. Até hoje, os experimentos relacionados a genes e dor causavam o bloqueio de todo tipo de dor e, às vezes, de todo tipo de sensação. É a primeira vez que se identifica o gene específico da dor crônica.

Deixe um comentário