fbpx

Cérebro responde mais rapidamente a imagens de animais

Sejam gatinhos ou serpentes, segundo estudo do Caltech e da UCLA, cérebro responde rapidamente a imagens de animaisFoto: Getty Images

Enquanto algumas pessoas adoram fotos de filhotes, outras se assustam instantaneamente com a simples imagem de uma cobra ou uma aranha. Em ambos os casos, a reação é causada por duas estruturas do cérebro chamadas amígdalas (não confundir com aquela da garganta), que processam reações emocionais. Um estudo do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) e da Universidade da Califórnia-Los Angeles (UCLA, ambas na sigla em inglês) afirma que a amígdala, inclusive, responde preferencialmente a imagens de animais do que de pessoas, paisagens ou objetos.

Segundo o estudo, publicado na revista especializada Nature Neoscience, pacientes epiléticos, que já tinham a atividade cerebral monitorada, passaram por um experimento: eles viam imagens de pessoas, animais, paisagens ou objetos, enquanto as reações dos neurônios eram monitoradas nas duas amígdalas do cérebro.

“Nosso estudo mostra que os neurônios na amígdala humana respondem preferencialmente a imagens de animais, o que significa que a atividade cerebral aumenta quando os pacientes olhavam a gatos ou cobras ao invés de construções ou pessoas”, afirma Florian Mormann, um dos autores do artigo que descreve o experimento.

“Essa preferência vale tanto para animais bonitinhos como para feios ou perigosos e parece ser independente do conteúdo emocional da imagem. Notavelmente, nós achamos esse comportamento apenas na amígdala direita, e não na esquerda.

Segundo Mormann, a pesquisa reforça achados anteriores que indicam que, no início da evolução dos vertebrados, o hemisfério direito do cérebro era responsável por cuidar de estímulos relevantes e inesperados ou das mudanças de ambiente.

O pesquisador afirma ainda que, além de uma melhor compreensão sobre o cérebro, o estudo pode levar a conhecermos melhor as fobias de animais.

Deixe um comentário