Preaload Image

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Aulas de robótica mudam percepção de crianças

Aulas de robótica podem mudar a ideia que crianças têm sobre os robôs? Segundo estudo da Universidade do Estado de Ilinóis, nos Estados Unidos, sim. As informações são do site New Scientist . O estudo foi apresentado no encontro da Sociedade Internacional de Psicologia e Ciência.

A ideia principal do estudo, na verdade, é mostrar às crianças como os robôs são realmente usados e mudar os estereótipos que elas possuem, além de descobrir se é possível que essa mudança de pensamento influencie a criança a se interessar por tecnologia. Foram entrevistadas 143 crianças entre 6 e 10 anos.

Os responsáveis pela pesquisa, Corinne Zimmerman, psicóloga, e Kevin Devine, engenheiro de robótica, ambos da universidade, fizeram um pedido às crianças: ¿desenhem um robô fazendo o que eles sempre fazem¿. O resultado mostrou um estereótipo: a maioria dos desenhos trazia um robô humanóide, com cabeça quadrada e pernas, realizando atividades costumeiras do dia a dia das pessoas, como lavar louça e fazer lição de casa. Mas a situação mais desenhada foi dança, com 30% dos desenhos tendo este tema.

Após isso, 29 crianças foram escolhidas para ter aulas sobre robótica e sua utilidade no mundo real, incluindo uma visita à uma fábrica. Depois, foi pedido para que redesenhassem um robô.

O resultado foi que apenas uma das 29 crianças manteve um robô humanóide no desenho. Todas as outras mudaram sua visão e os desenharam, por exemplo, construindo carros. Após três meses, os pesquisadores voltaram a pedir às crianças desenhos, e a nova percepção se manteve.

Zimmerman acredita que a aula de robótica mostrou às crianças a diferença entre ficção e realidade, segundo entrevista dada ao New Scientist. Porém, há quem discorde da pesquisa: Noel Sharkey, especialista em robôs da Universidade de Sheffiel, Inglaterra, duvida dos resultados do estudo. ¿Nos últimos dez anos, muitos robôs foram criados com articulações espelhadas nas dos humanos. Não se deve limitar a imaginação infantil¿, falou ao site.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.